Pinto do Monteiro e João Furiba

Do livro de Zelito Nunes, “Pinto velho do Monteiro – um cantador sem parelhas”, apesar de o livro ser todo bom, tem trechos que achei bastante engraçado e que retratam o espírito puro e criativo do povo sertanejo encarar a vida mesma quando a situação não é das melhores. Uma dessas diz respeito a uma visita que o cantador João Furiba foi fazer ao poeta Pinto do Monteiro.
Pinto já se encontrava doente e sem enxergar quando Furiba chegou na porta de sua casa e, saudando o poeta, disse:

“Há tempo em que eu não vinha
nesta santa moradia
visitar o velho Pinto
Me traz tanta alegria
Que é mesmo que ter tirado
O bolão da loteria”

Pinto com muito bom humor, disse:

“Eu não imaginaria
que você chegasse agora
Com essa sua presença
Obtive uma melhora
Quer ver eu ficar bom mesmo
É quando você for embora”

Se quizer mais, compre o livro:
zelitonunes@gmail.com

Anúncios

59 Comentários

Arquivado em Uncategorized

59 Respostas para “Pinto do Monteiro e João Furiba

  1. ventura

    O pinto do Monteiro e o poeta mais completo da historia da poesia.

    asagrada escritura do pinto dis o seguinte

    adefesa e natural
    cada qual para o nasce
    cada qual com sua classi
    seu estilo de agrada
    um nasce pra trabalhar
    outro nasce para briga
    outro vivi de entriga
    outro de negocia
    um vivi de engana
    o mundo so presta assim
    e um bom outro ruim
    nao tenho jeito para dar
    para acaba de completa
    quem tem o mel da o mel
    quem nada tem nada dar

  2. Sou de Monteiro terra de Flávio José,sou fã de vcs.Meu nome é Silvania.

    Nasci neste berço de poesia,me sinto muito orgulhosa,alguem me chamam de besta só poque gosto de prosa!Monteiro é minha casa,sinto isso toda hora!!!!Silvania Alves

    • eron

      CARA SILVANIA, EU TAMBEM GOSTO DE REPENTISTAS POIS SOU FILHO DE UM E SE BRINCAR O REPENTISTA MAIS VELHO DO BRASIL, ELE CHAMA-SE DE MANOEL PEDRO CLEMENTE.
      MEU e-mail, msn e orkut erpenrambucano@uol.com.br

      • leonardo josé

        gostei demais parabens meu saudoso pai era tamben repentista pernambucano chamava-se António coelho de lajedo-PE cantava com Manuél Pedro Clemente,Zé pequeno,avoador da Paraiba eoutros mais da sua época

  3. erivan

    sou camalauense e sou fã de pinto do monteiro o maior cantador

  4. joao batista

    pinto do monteiro e uma das mentes mais brilhante desse nosso mundo sua tragetoria nao pode ser esquecida ! meu maior orgulho e ter conhecido pinto do monteiro

  5. Luzarte de Medeiros Brito

    Pinto do Monteiro e Louro do Pajeú formaram a melhor dupla de poetas repentistas do brasil!

  6. reginaldo menezes

    peço a deus que me leve de volta ao meu recanto nordestino, quero deixar a cidade grande onde só tem barulho que pra nada presta a nao ser pra acordar quem está dormindo.

  7. nino nunes

    saudaçoes eterno pinto….kra genila….menti limpa

  8. Poeta claudio lima

    Pinto do monteiro, grande cantador
    deixou poesias e versos e também seus seguidor
    o versso na ponta da lingua resposta pra dar
    a rima o espirava, um belo intuador
    um bom poeta tem tudo arquitetado
    alguem ia o chicotia
    e voltava chicoteado…

    • Diego

      e eu te deixo baliado,
      no repente o disispero
      sou um grande repentista
      aboiador tuadeiro
      o que ninguém imagina
      e que os meus versos de rima
      te ganham o dia inteiro!…

  9. José Lucas de Barros

    Tive o privilégio de passar o dia 5.1.1982 com o velho Pino do Monteiro, na pequenina casa em que morava, na cidade de Sertânea-PE. Gravei uma fita
    de 60 minutos de entrevista com ele. Ele falou de toda a sua vida de vaqueiro, militar, seringueiro, cidadão e cantador. Testamos os repentes que constavam de meu arquivo e que lhe eram atribuídos. Ele assumiu a autoria de quase todos os repentes que lhe mostrei. Recusou alguns poucos. Fez versos sobre nosso encontro, deu-me rascunhos de versos inéditos. Foi um dia de enriquecimento cultural para mim. Ele tinha nos olhos o faiscar do gênio, a esperteza da fera do repente, a peenetração inevitável do felino bravio. A título de prefácio para meu livro REPENTES E DESAFIO, fez estes belos versos:
    Se eu tivesse o saber
    como Dr. Epitácio, (*)
    talvez pudesse fazer,
    desse seu livro, o prefácio.

    Eu admiro o doutor,
    um grande vernaculista,
    dedicar-se, com amor,
    à vida do repentista.

    Eu não faço, como penso,
    um prefácio… É o primeiro,
    por SeverinoLourenço
    da silva Pinto Monteiro.

    Pinto do Monteiro,
    Sertâea – PE, fevereiro/92.
    (*) O mestre PInto se referia a Epitácio Pessoa, importante político de sua querida Paraíba.

  10. Eloi Firmino de Melo

    Se fosse o cordel extinto
    do cenário brasileiro;
    se ninguém mais escrevesse
    um bom cordel verdadeiro;
    se não resistissem ao tempo
    os que foram pioneiros;
    tanto quem escreveu versos,
    e até mesmo o folheteiro;
    se o bom cordel fosse extinto…
    é que tem gente pra pinto
    menos pra Pinto Monteiro.

  11. Eduardo Viana de Melo

    Antes do computador,
    Qundo um poeta escrevia.
    Era num velho caderno,
    Amofumbava e não lia.
    Uma parte o mofo dava,
    A outra a traça comia.

  12. Eduardo Viana de Melo

    Antes do computador,
    Quando um poeta escrevia.
    Era num velho caderno,
    Amofumbava e não lia.
    Uma parte, o mofo dava.
    A outra, a traça comia.

  13. jose doroteu ferreira

    pinto foi meu conterraneo
    filho nato de monteiro
    furiba é de sumé
    outro grande violeiro
    uma cidade encrustada
    no sertão caririeiro

    um poéta verdadeiro
    nunca gostou de mentira
    já morou em pernanbuco
    na cidade de tabira
    hoje está em terezina
    mais de saudade suspira

    a sua alma delira
    lenbrando da paraiba
    a velhice ja chegou
    sobre a vida de furiba
    que hoje vive sonhando
    no vale do parnaíba

    travou mais de uma briga
    com pinto colega seu
    cantou com josé pequeno
    que a terra estremeceu
    desafiou pedra azul
    que a terra já comeu

    no vale do parnaíba

    • Jose Doroteu ferreira

      MUITOS ESTÃO EM MEMÔRIA
      JÁ ENCERRAM A CARREIRA
      PINTO E LOURIVAL BATISTA
      JÓ PATRIOTA E BANDEIRA
      OTÁCILIO E ZÉ SOARES
      E SEVERINO FERREIRA

      OUTROS ESTÃO NA ESTEIRA
      CAMINHANDO PARA MORTE
      CANTARAM MORÃO VOLTADO
      GALOPE E FISERAM MOTE
      NESTA LISTA ESTÁ FURIBA
      QUE CANTAVA MUITO FORTE

  14. ventura

    Eu um grande adimirado de pinto do monteiro. Mas vou deixa um mote

    Quem foi que bateu em pinto que eu morro e não conheço

    • Jose Doroteu ferreira

      COROADO COMO REI
      O CASCAVEL DE MONTEIRO
      NO REPENTE ERA LIGEIRO
      CRUEL MATADOR SUCINTO
      ENTRAVA NUM LABIRINTO
      COMO UM INDIO POTIGUAR
      FOI UM CANTOR EXEMPLAR
      FALO SEMPRE E NUNCA MINTO
      QUEM FOI QUE BATEU EM PINTO
      ANTES DA MORTE LEVAR

  15. Jose Doroteu ferreira

    COM MAIS DE NOVENTA ANOS
    AINDA ERA UM PERIGO
    COMO UM LEÃO NO ABRIGO
    NÃO APANHOU DE NINGUEM
    HOJE HÁBITA NO ALÉM
    NÃO PODE MAIS BATALHAR
    SE ALGUEM SE INSULTAR
    PODE APANHAR DE CINTO
    QUEM FOI QUE BATEU EM PINTO
    ANTES DA MORTE LEVAR

  16. Jose Doroteu ferreira

    NOS TORRÕES DA SEPULTURA
    A ONDE ESTÁ SEPULTADO
    AINDA É RESPEITADO
    POR TODOS COLEGAS SEU
    A CARNE A TERRA COMEU
    SÓ QUANDO RESSUSCITAR
    E DO PÓ SE LEVANTAR
    SE VER COMO FOI DESTINTO
    QUEM FOI QUE BATEU EM PINTO
    ANTES DA MORTE LEVAR

  17. Jose Doroteu ferreira

    LOURIVAL E OTÁCILIO
    FORAM GRANDES CANTADORES
    DE PINTO INSULTADORES
    NOS VERSOS E INVESTIDAS
    JÁ PERDERAM SUAS VIDAS
    SEM A PARADA GANHAR
    NINGUEM PODE IMACULAR
    QUEM FOI DO PRIMEIRO AO QUINTO
    QUEM FOI QUE BATEU EM PINTO
    ANTES DA MORTE LEVAR

  18. Jose Doroteu ferreira

    SEVERINO ERA SEU NOME
    UMA VERVE DE MONTEIRO
    NO LENDÁRIO BRASILEIRO
    PINTO O SEGUNDO NOME
    A SAUDADE NOS CONSOME
    DESSE VATE POPULAR
    UM DIA QUANDO VOLTAR
    VAI CANTAR EM MEU RESCINTO
    QUEM FOI QUE BATEU EM PINTO
    ANTES DA MORTE LEVAR

  19. Jose Doroteu ferreira

    CANTOU PARA JUCELINO
    PRESIDENTE BRASILEIRO
    DEPOIS VOLTOU PRA MONTEIRO
    COMO CANDIDATO FORTE
    VIROU REI ATÉ A MORTE
    O SERTÃO PODE CANTAR
    SEMPRE GOSTOU DE TOMAR
    CACHAÇA COM VINHO TINTO
    QUEM FOI QUE BATEU EM PINTO
    ANTES DA MORTE LEVAR

  20. VENTURA

    como um grande adimirado de pinto do monteiro
    aqui fica mais um mote
    depoes que pinto moreu muito valente aparece

    • wellington

      aqui fasso minha presse para o povo do alem
      quem morreu fazendo verso sem desmoralizar ninguem
      fica perto de jesus onde fica quem merece
      depois que pinto morreu muito valente aparece

  21. VENTURA

    quando pinto erra vivo nao tinha muito velete
    fica um mote mara geraldo amancio ou valdir teles

  22. VENTURA

    para jose doroteu ferreira

    nao sei o que fiz tanto pra sorte mim castiga

  23. ventura

    Eu vou lidar um conselho
    Ouça e guarde na lembrança
    Quando encontra com endivido
    Siacabando de ânsia se não for
    Seu pretendente não deve dar importância

  24. ventura

    Titulo: O Tédio

    Autor: Henrique Hine ( adp. : Mendes de Oliveira )

    Paciente: Venho doutor, fazer-lhe uma consulta.
    A doença que me punge e esteriliza a mocidade e o espírito,
    Resulta de uma chaga que nunca cicatriza.
    Muito embora comum a toda gente, a de que sofro, atroz hipocondria,
    Tanto me torna pensativo e doente, que já não sei o que é paz nem alegria..
    Sendo o mais sábio clínico do mundo, sois também um filósofo notável, do
    Peito humano auscultador profundo, curareis este mal inexorável.
    Que me destrói o organismo fibra-a-fibra
    Que me enevoa o cérebro e o condensa.
    Eu tenho um coração que já não vibra
    Suporto uma cabeça que não pensa.
    Este tédio mortal, tédio agoureiro,
    Que me envenena, que me escurece os dias,
    É como os beijos dado á dinheiro, numa noite de orgias.

    Doutor: O amigo tem razão, padece realmente
    Contudo a infermidade, o morbus que o devora,
    É um produto fatal do século de agora.
    Uma emoção vibrante, um abalo violento, pode cura-lo
    Creio. Apenas num momento. O tédio é uma sombria, uma
    Fatal loucura. É a treva interior, a grande noite escura.
    Onde se esquece tudo. A sorte, a vida amada. O nosso
    Próprio ser e só se lembra o nada.
    —diga-me. Alguma vez amou ?
    Nunca em seu peito estrugiu das paixões o temporal desfeito ?
    Como as vagas de um mar que se agita e encapela, ao soturno rumor do vento
    E da procela ?

    Paciente: Nunca.

    Doutor: Pois meu caro. Procure a agitação constante.
    Um prazer esquisito, um gozo triunfante.
    Já visitou a Grécia, o Oriente a terra santa ?
    Os sítios onde tudo hoje evoca e decanta, as glorias uma idade imorredoura
    E eterna, que amesquinha e deslumbra a geração moderna ?

    Paciente: Em híbridos festins passei a mocidade. Percorri viajando, o mundo
    E a humanidade, como Judas da lenda.
    E entre as mulheres todas, cujos lábios beijei
    Em bacanais e bodas,
    Mulher nenhuma eu vi sobre a terra tamanha
    Que para mim não fosse uma visão estranha.
    Como parti voltei. Sem achar lenitivo para este mal doutor.
    Que assim me trás cativo.

    Doutor: Frequente o circo, amigo. A figura brejeira do famoso Arlequim,
    Que a esta cidade inteira palmas e aclamações constantemente arranca.
    Talvez lhe restitua a gargalhada franca.

    Paciente: Vejo doutor, que o meu caso é perdido.
    O truão de que falas, o palhaço querido
    Que anda no Coliseu assim tão aclamado, tem um riso
    De morte, um riso mascarado, que encobre a dor sem fim
    Do tédio e do cansaço…sou eu este Palhaço.

  25. jose doroteu ferreira

    ventura não se aventute
    só quando four cantador
    se o problema é gramatica
    vá ligeiro ao professôr
    se é falta de saúde
    tome logo uma atitude
    vá em busca do doutor

  26. jose doroteu ferreira

    o mundo é mesmo assim
    é melhor não reclamar
    deixar o tempo correr
    esperar em que vai dá
    buscando sempre guarida
    não sei o que fiz na vida
    pra tanto me gastigar

  27. jose doroteu ferreira

    não se sinta derrotado
    lutando vai chegar lá
    se abaixar a cabeça
    o mal pode lhe pegar
    cuide bém sa sua lida
    não sei o que fiz na vida
    pra tanto me castigar

  28. ventura

    Para jose doroteu ferreira

    TENHO NO PEITO CORAGEM
    PRA ENFRENTA CATADOR
    SE O PLOBLEMA E GRANMATICA
    PESSO DESCULPA O SENHOR

    EU VOU TER MAIS CUIDADO
    QUANDO MANDAR UM POEMA
    POIS NA MINHA CABECA
    TENHO TINTA E PENA
    SO ESTA FALTANDO VOCE MANDAR
    UM MOTE PARA ESCREVER UM POEMA

  29. ventura

    Trasíbulo Ferraz

    A Orgulhosa
    Num Baile

    Ainda há pouco pedi-te,
    Pedi-te para valsar…
    Disseste – és pobre, és plebeu;
    Não me quiseste aceitar!
    No entretanto ignoras
    Que aquele a quem tanto adoras,
    Que te conquista e seduz,
    Embora seja da “nata”,
    É plena figura chata,
    É fósforo que não dá luz!
    Deixa-te disso, criança,

    Deixa de orgulho, sossega,
    Olha que o mundo é um oceano
    Por onde o acaso navega.
    Hoje, ostentas nas salas
    As tuas pomposas galas,
    Os teus brasões de rainha;
    Amanhã, talvez, quem sabe?
    Esse teu orgulho se acabe,
    Seja-te a sorte mesquinha.

    Deixa-te disso, olha bem!
    A sorte dá, nega e tira;
    Sangue azul, avós fidalgos,
    Já neste século é mentira.
    Todos nós somos iguais;
    Os grandes, os imortais;
    Foram plebeus como eu sou.
    Ouve mais esta lição:
    Grande foi Napoleão,
    Grande foi Victor Hugo.
    Que serve nobre família,
    Linhagem pura de avós?

    Se o sangue dos reis é o mesmo,
    O mesmo que corre em nós!
    O que é belo e sempre novo
    É ver-se um filho do povo
    Saber lutar e subir,
    De braços dados com a glória,
    Pra o Pantheon da História,
    Pra conquista do porvir.
    De nada vale o que tens
    Que não me podes comprar;
    Ainda que possuísses
    Todas as pérolas do mar!
    És fidalga? – Sou poeta!
    Tens dinheiro? – Eu a completa
    Riqueza no coração;
    Não troco uma estrofe minha
    Por um colar de rainha
    Nem por troféus de latão.

    Agora sim, já é tempo
    De te dizer quem sou eu,
    Um moço de vinte anos
    Que se orgulha em ser plebeu,
    Um lutador que não cansa,
    Que ainda tem esperança
    De ser mais do que hoje é,
    Lutando pelo direito,
    Pra esmagar o preconceito
    Da fidalguia sem fé!

    Por isso quando me falas,
    Com esse desdém e altivez,
    Rio-me tanto de ti,
    Chego a chorar muita vez.
    Chorar sim, porque calculo,
    Nada pode haver mais nulo,
    Mais degradante e sem sal
    Do que uma mulher presumida,
    Tola, vaidosa, atrevida.
    Soberba, inculta e banal.

  30. Pingback: Os números de 2010 | coisas pra se dizer benzó deus

  31. guedes oliveira

    fazia qualquer coisa mesmo
    que custe dinheiro
    ainda andava cem léguas
    pra ver pinto de monteiro
    cantar dentro de casa
    ou fora no terreiro

  32. JOSÉ JANILSON DE SOUZA

    Nunca conheci artista que dissesse eu sou melhor
    Do que a fera do Norte, que a morte apagou sem dó,
    Das salas de cantoria, da memoria nordestina
    Aquele que fez seu nome naquela viola divina.

    Tracejou muitos caminhos, mas se encontrou na poesia
    Encantou mentes brilhantes, dia e noite, noite e dia
    Revelo então sua graça, da história o mais distinto,
    Paraibano, de raça: O Menestrel, o Mestre: “PINTO”.
    JOSÉ JANILSON DE SOUZA – BELO JARDIM-PE

  33. jhprimo

    Pinto foi o maior entre todos que nasceu, ambem é o maor entre todos que morreu…
    Jhprimo piancó.11/11/11

  34. manoel bezerra

    que coisa maravilhosa esses v ersos essas poesias nunca vai haver alguem igual a pinto de monteiro.

  35. Jose Doroteu ferreira

    mote para ventura vercejar: nascí sentindo o pefume
    da fazenda catarina

  36. Delzomar Pereira de Macedo

    A pureza de cordel, por sua naturalidade
    em criar e declamar um verso ou poema.
    És tú o pinto galo da poesia.

  37. Francisco Edmilson Correia Lourenço

    ser cordelista é um dom que Deus os preparou tira rimo de onde vc pensa que tudo se acabou tornando o feio belo e o belo com amor.

  38. Francisco Edmilson Correia Lourenço

    uma do pinto já comi teu açu gola de campina e cancão,todo animal da campina comi feito pirão,quero falar a verdade para voces eu não minto só não comi gavião pois gavião comi pinto quem comi pinto eu não como.

  39. José Doroteu Ferreira

    Tem muita gente pensando
    que poésia é confusa,
    pra escrever foi cancão
    que tinha uma mente lusa!
    pra cantar foi pinto velho
    e grande Zé de Cazusa.

  40. José Doroteu Ferreira

    Mocinha é uma musa
    que todo mundo admira,
    é rainha absoluta
    na cidade de Passira!
    uma fiel escodeira
    do poéta João mentira.

  41. José Doroteu Ferreira

    Ela esteve na mira
    de duas celebridades,
    Pinto gostava da mesma
    cantou em várias cidades!
    mais Furiba carregou -la
    a outras propiedades.

  42. José Doroteu Ferreira

    O tempo deixou saudades
    mais a história escreveu,
    Furiba velho e doente
    Pinto a terra já comeu!
    Mocinha nova e bonita
    canta mais que um chofreu.

  43. José Doroteu Ferreira

    Quem ta falando sou eu
    um poéta renomado,
    filho nato de Monteiro
    o meu torrão adorado!
    residindo em Paulo Afonso
    pelo rio iluminado.

  44. José Doroteu Ferreira

    O meu abraço apertado
    aos pares cordelistas,
    meus amigos, e amigas
    e aos vates repentistas!
    também aos narradores
    e aos apologistas.

  45. joão motta

    e pinto falou assim
    “poeta e aquele que tira de onde não tem e coloca onde não cabe”
    salve grande Pinto do monteiro.

  46. Cabaceira é a cidade mais seca da Paraíba.
    Um cantador de lá, cantando com Pinto, atreveu-se a terminar uma sextilha,
    dizendo:
    “E tudo que se planta dá
    na minha querida terra”.

    E Pinto emendou:

    Eu conheço sua terra, só dá quipá e urtiga;
    planta o milho; ele não nasce,
    se nasce, não dá espiga.
    E de coisa que tem caroço
    só dá sarampo e bexiga.

    Moita

  47. Luciano Mayer

    Caros amigos,
    Estou a procura de um cordel de Pinto de Monteiro no qual ele canta e decanta a Fazenda do Feijão. Se não sabem, nessa Fazenda, outrora pertencente ao Coronel Sizenando Rafael, Pinto foi vaqueiro até os 20 anos de idade. Quem souber desse cordel, por gentileza, informe-me através do e-mail abaixo, para que eu busque uma cópia:
    Abs,
    Luciano Mayer
    (luciano.mayer2013@gmail.com)

  48. Raimundo Nonato da silva

    muito bons versos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s