Espia isso, menino! É Manoel Filó com a gota…

QUANDO EU PARTIR DESTE ABRIGO
SEGUIR À MANSÃO SAGRADA,
A MORTE ESTÁ PERDOADA
DO QUE QUIS FAZER COMIGO,
QUIS QUE EU FOSSE IGUAL AO TRIGO
QUE AO VENDAVAL SE ESFARELA,
MAS EU VOU PASSAR POR ELA
DE CABEÇA LEVANTADA
“A MORTE ESTÁ ENGANADA,
EU VOU VIVER DEPOIS DELA”.

Anúncios

6 Comentários

Arquivado em Uncategorized

6 Respostas para “Espia isso, menino! É Manoel Filó com a gota…

  1. É mesmo um atrevimento/
    Você querendo vencer/
    Em ver a morte morrer/
    É utopia eu lamento/
    Não há neste firmamento/
    Quem vença essa megera/
    Ela ficou pra donzela/
    A morte é uma danada/
    Não se engana com nada /
    Você vai bem antes dela./
    ***********************

    //Anizio

    • Espiritualidades
      A Manoel Filó

      A matéria se renova
      É energia transmutada
      Como uma essência encarnada
      Espírito vem à prova
      O Reino não é além-cova
      É o que torna a vida bela
      E do curral faz cancela
      Pra uma nova morada
      A morte está enganada
      Eu vou viver depois dela

      J. Butija

  2. assis campina grande pb

    lamento muito não ter conhecido manoel filo mas ja vi muito seus verssos e cometarios manoel filo era um filosofo.

  3. Divergência

    Seja grosseira, me responda aos gritos
    Encha de mágoa o meu interior
    Seus seios virgens, quentes e bonitos
    Também tiveram culpa em minha dor

    Sem machucar os corações aflitos
    Deve ser muito bom morrer de amor
    Seus olhos mostram dois aerólitos
    Enfeitando o espaço ao sol se pôr

    Já que não posso merecer seu porte
    Fico parado condenado a sorte
    Que não nos trouxe condições iguais

    Eu não sou cofre de guardar segredo
    Ou tive culpa de nascer mais cedo
    Ou foi você que demorou demais

    Manoel Filó

    Do meu padrinho de pia e tio ‘Socorrista’…

  4. Lamento Contra um 12 de Outrubro

    Pelas praças e becos da cidade
    Prolifera uma raça desnutrida
    Que sem rumo, sem vez e excluída
    Sobrevive a tamanha crueldade
    Se lhes sobra viver em liberdade
    Liberdade sem pão não vale nada
    De barriga vazia e cara inchada
    Vão cheirando um resto de esperança
    Pra que festa no dia da criança
    Num País de criança abandonada?

    Leonam Menezes

    De uma cria sua, Léo, prir-mão.

  5. Par

    Derradeira, única, primeira
    Eterna, sempre verdadeira
    Amada, minha companheira
    Amor da minha vida, inteira

    Pedro Torres

    Desse poeta medíocre…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s