Do poeta Dedé Monteiro

No dia de abandonar
O meu torrão querido,
Ouvi meu próprio gemido
A me pedir pra ficar…
Mas, vendo que de voltar
Havia pouca esperança,
Triste como uma criança
Que está com fome ou com sede
No punho da minha rede
Deixei um nó por lembrança

Anúncios

32 Comentários

Arquivado em Uncategorized

32 Respostas para “Do poeta Dedé Monteiro

  1. Você saiu e deixou/
    Uma rede pedndurada/
    Com um nó abandonada/
    Um juramento falou/
    E a cidade desprezou/
    Mas é certo vai voltar/
    Terra boa é nosso lar/
    Quem deixa chora com dó/
    Volte e desate este nó/
    Monteiro é o seu lugar./
    **********************
    //Anizio, 09/04/2008

  2. No dia que abandonar/
    A cidade você chora/
    Pode ser até agora!/
    Monteiro é o seu lugar/
    Você não irá deixar/
    O berço a onde nasceu/
    Que foi criança e cresceu/
    O mundo dar muitas voltas/
    Se você for, se revolta/
    Monteiro é o lugar seu./
    **********************
    //Anizio

  3. As emoções da Saudade.
    ***********************
    Tudo em mim é emoção…/
    Quando lembro de você,/
    É seu sorriso, no rosto!/
    Esse seu jeito de ser…/
    É essa distância ingrata!/
    Que maltrata mas não mata!/
    Mas me faz tanto sofrer./

    Sinto saudade em lembrar…/
    Teu jeito de seduzir…/
    Com tua fisionomia,/
    Deixando o amor fluir…/
    É a lembrança dos beijos!/
    Dos momentos de desejos…/
    Falta que me faz sentir./

    Teu beijo em mim é marca!/
    Com patente registrada…/
    Não existe explicação,/
    Pra essa ação tão sonhada…/
    Foram beijos e abraços,/
    Que me traz presos nos laços!/
    Pela saudade marcada./
    ***************************

    //Anízio
    //Recanto
    11/04/2008.

  4. Dedé Monteiro

    Sou grato ao poeta ANÍZIO
    Que ao me comentar se inspira.
    Mas tá havendo uma dúvida
    Que neste instante se tira:
    Monteiro é só apelido,
    Sou natural de Tabira.

    Com um abraço,
    Dedé Monteiro

    • allan

      gostodassuaspoesias

    • sassá

      dedé queria ter sua amizade:
      amizade

      é com ela que enchergo a claridade
      desabafo minhas magoas e tristezas
      como posso viver sem amizade
      no glamor de historiase e riquesas

      no retrato da amizade em noite amiga
      na claridade do amor suspiro tanto
      calada testemunha do meu pranto
      pesso amor compaixão e piedade
      como posso viver sem amizade
      sem amigosisolados num recanto

      com animados versos entoados
      finaliso com beleza e com brandura
      unidos pelas mãos da aventura
      com amigos eu vivo a realidade
      é a magia e alegria da amizade
      que fortalece e nos segura sobre tudo
      eu não posso falar de um futuro
      sem falar de amor e amizade.
      (sassá)brejinho de tabira….

    • Dedé, quem te manda um recado é Rosemilson, amigo de Alexandre da Santista. Faz tempo que não nos falamos porque perdemos contato. Pode responder pelo e-mail abaixo.

  5. zivaldo nunes barros

    Dedé monteiro sou seu fã e gostaria de adquerir o seu livro ´Retalhos do Pajeú´pois conheço todas as poesias nele escritas.um grande abraço,zivaldo Remanso-ba.

  6. adeildo santana

    dedé gosto muito do seu livro retalhos do pajeú e gostaria de conseguir esse livro mais não sei como não encontro em lugar neum. atualmente estou morando em goias e se for possivel faça contato atravésa desse email um abraço.

  7. Voltei para uma visita
    Mas aqui não volto mais
    Dedé não mais esvreveu
    Renovando seus anais
    Parece que abandonou
    Fez o verso e desprezou
    Isso os poetas não faz.

    O seu tema de abandono
    Foi brincando mas pegou
    Aqui você não voltou
    Se isto era seus planos
    Sei que cometeu engano
    Ir para outro lugar
    Abandonando monteiro
    Se aqui é seu terreiro
    Sei que um dia voltarar.

    //Anizio, 25/03/2009

    • Dedé Monteiro

      Poeta Anízio,

      De voltar che o dia!
      E, aproveitando este espaço,
      Lhe transmito um grande abraço
      Em nome da poesia!

      Dedé Monteiro

  8. Dedé estou satisfeito/
    A minha dúvida tirei/
    Glosando sei que errei/
    Mas foi um verso está feito/
    Agora vou tomar jeito/
    Havendo dúvida nós tira/
    É certo teu nome inspira/
    Sei que não és Monteiro/
    Mas poeta verdadeiro/
    Já sei que tem em Tabira./

    **************************
    //Anizio, 15/05/2009

  9. //Anizio

    A arte de pintar é dom de Deus.
    /*/*/*/*

    A arte revela o passado e o presente
    Faz agente senti-se eternizado
    São reflexos em nós memorizados
    Nos momentos felizes e conscientes
    Mas só Deus é quem é onipresente
    Não importa onde esteja ele ver
    Cabe a nós neste Deus apenas crer
    Pelo dom da pintura eu tenho sede
    Desenhei seu retrato na parede
    E chorei com saudade de você.

    */*/*/*/*
    //Anízio
    //Santos
    //Recanto
    Campina Grande, 06/12/2008.

  10. O Sorriso da Saudade.
    01
    Sob o peso da saudade…
    Deixo as lágrimas cair!
    Triste nem sei mais sorrir,
    Em mim só ansiedade…
    Que todo meu ser invade!
    Nostalgia do passado…
    Em mim fica impregnado!
    Como enxerto na pele,
    Um mal que não se repele!
    Neste meu rosto marcado.
    02
    Lamentando essa ausência…
    As lágrimas voltam a rolar!
    No silêncio a lamentar,
    Do amor sinto a presencia…
    Mas sofro com paciência,
    Vendo sorrir a saudade…
    Fazendo-me essa crueldade!
    Levando parte de mim,
    Querendo ver o meu fim!
    Expondo-me a sua maldade.
    03
    E nos soluços em silêncio,
    Faz expulsar minhas lágrimas…
    Expandindo minhas mágoas!
    Meu coração é um vazio…
    Sinto este amor por um fio!
    Mas mesmo na ansiedade,
    Eu busco a felicidade…
    Para acalmar minha dor!
    Nas memórias do amor…
    Vive sorrindo a saudade.

    */*/*/*/
    //Anizio
    //Recanto
    Campina Grande, 23/08/2009

  11. Wilson Oliveira

    Camarada Dedé,

    Sou daqui da região de Irecê na Bahia, estive em Tabira há uns 18 anos e tive o prazer de lhe conhecer. Foram momentos inesquecíveis da minha vida. Nessa época tivemos uma certa aproximação, o que nos levou a fazer duas poesias à distância, as quais são muito bem guardada junto com os “retalhos do baú”.
    Quanto a você como pessoa, para mim, não tem precedentes, como poeta, ouso dizer, que o seu conceito, definição, encontra-se entranhado nos confins infinintesimal dos seus versos, distribuídos por este mundo afora.
    Foi um grande prazer conseguir entrar em contato contigo.
    Um abração do seu amigo,
    Wilson Oliveira
    Irecê (Ba)

  12. O TRABALHO DO AGRICULTO

    MEU AMIGO LI FALO
    O TRABALHO E OSNESIDADE QUE TEM UM AGRICULTO
    AS MAOS JEI DE CALO SOVRENDO NESSE CALOR
    ELE FAS UMA AÇAO DE BATE NO CORAÇAO A VERDADE DESSE LUTADOR
    EU LI FALO AVERDADE DESSE VELHO BRIGADOR
    LUTA PARA SUA FAMILIA
    VIVER COM FORTE AMOR
    LIFALO COM CARINHO FALANDO DE AGRICULTO
    FALO ALTO SEM DEMORA SO FALO COM AMOR

  13. dede meu amigo lifalo essa verdade
    tem que ter muita coragem para seguir essa profiçao
    pença com pensamento mais rapido que o coraçao
    nao a demora com esse seu pensamento
    falo com coragem dissem sem ter medo
    vc e da minha cidade
    poeta nao tem demora acabei de ver o discurso da sua jornada de hora vc fes tudo na hora jamou amigo jordao falo isso com coraçao digo isso com praser demora e pra se ver nos poeta do coraçao

    eu sei que ficou ruim mas tava apreçado

  14. Sou sua fã, adimiro muito suas poesias, tenho muito orgulho em ter como conterraneos poetas como você e sebastião Dias. sou tabirense de coração.
    Um abraço: NATÁLIA NOBRE

    SOLIDÃO-PE 21/01/2010

    • Dedé Monteiro

      Querida Natália Nobre,
      Mais nobre é seu coração.
      Conterrânea de “Espinharas”
      E João Morais (grande João),
      Dois grandes representantes
      Dos versos de Solidão.

      Dedé Monteiro

  15. joao venceslau

    poeta dede monteiro
    responda alto e em bom tom
    sua viola afinada
    sempre provoca bom som
    mais não mim sai da ideia
    na terra das vacas veia
    nasceu um poeta bom

  16. Well_Amorim

    Mim diga caro João
    Onde foi que você viu
    Déde tocando viola?
    Esse som nunca saiu.
    E historia vaca veia
    Ou você ta sem idéia
    De onde foi que surgiu?

  17. Well_Amorim

    Será que é porque tabira
    Tem a maio feira do gado?
    A segunda do estado
    E quem ver se admira.
    É uma feira que gira
    Pra cidade alguns milhões
    Faz invejar as regiões
    Tabira é merecida
    Por isso é conhecida
    Cidade das tradições.

  18. romulo

    sou romulo fernandes de tabira gosto muito de seus versos SAUDADES

  19. Claudete Cardoso J Marques

    Olá,
    Meu marido está a procura de um poema de Dedé Monteiro que segundo ele chama: Tabaqueiro Galante.
    Segue abaixo um trecho do poema.
    Gostaria também de saber como é possivel adiquirir um exemplar e algum cordel do autor.

    “Um tabaqueiro muito galante vovô comprou na loja de um comerciante. Era a tampa muito importante feito de um nobre pereiro por um ótimo maceneiro”

    Desde já agradeço!

    Claudete C.J Marques

  20. quero aqui deixar claro
    que gosto de poesia
    e me inspiro em dedé
    com muita da sintonia
    e gosto dos versos ele
    q inpiram fantasia….

    tenho 16 anos
    mora em tabira sim
    e dedé é o orgulho
    de outras cidades e daqui
    demonstrando a poesia
    q na via exist enfim….

    um beijo aos poetas
    q declamam com dedé
    e tbm os q ~ja sabem
    poesia como é
    façam sempre sua parte
    e declamen a vida como é…

    abração querido dedé
    um poeta nata e bondoso
    tenha sempre essa fé
    seja smpre orgulhoso
    faça sempre os seus versos
    com seu dom maravilhoso..:)

  21. a escola de dedé
    é a poderosa vida
    q ensinou a ele
    cada forma e medida
    e ate msm a poesia
    q ele ate hoje finda..

    nao faço os vesos bem
    mas decrevo com carinho
    e a dedé quero bem
    dou-lhes a rosa em espinhos
    seja sempre bom poeta
    e traçe seus caminhos… maria valéria
    arnaldo lves cavalcante 2º ensino medio
    tarde

  22. Poeta Didi Patriota

    Mande Os versos do mote nesse e-mail, o mar ancora segredos em portas desconçidas…
    Um Grande Abraço Do Poeta DiDi Patriota!

  23. maria tamires

    dede sou uma estudante e gosto muito dos seus livros espero um dia chegar pessoalmente perto de vc pois adoro suas poesias e tudo mais que vc escreve sobre nossa vida sertao amor ou amizade… te admiro bastante espero que essa sua capacidade de realizar varias escritas continue mais e mais a cada dia…
    parabens!

  24. o cordel foi no passado
    o jornal do sertanejo
    sem ter nem internet
    no pequeno vilarejo
    esperavam o poeta
    com sua rima e seu gracejo.

  25. Sou sertanejo feliz
    por gostar de poesia
    consigo ver a margia
    no que um poeta diz
    a poesia é raiz
    da arvore do coração
    e quem pisa nesse chão
    faz do repente uma prece
    só feliz quem conhece
    a história do Sertão.

  26. Antonio Costa Guimares

    Sou admirador do poeta Dede Monteiro. Gostaria de adquirir seus livros. Como faço? Onde encontra-los para comprar.

  27. Ananias Neto

    Dedé eu sou de tabira, mais não estou no recinto ,te acho melhor poeta, eu fala isso não minto, que suas poesias,são melhores que as de pinto.
    Ananias neto

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s