Lamúrias à Capital

De lá eu sou um grão de areia
daqui sou quase nada
mais um doido na calçada
mais um corpo que vagueia
sou o sangue que bombeia
um coração no fim da vida
sou a alma reprimida
na matéria decadente
o veneno da serpente
a migalha repartida

Tenho inveja verdadeira
das asas de um cancão
a voar em vastidão
a pousar em qualquer beira
pois nem mesmo que eu queira
tenho em mim a liberdade
enjaulado na cidade
a mercê da violência
vivo em plena decadência
definhando a sanidade

Lá deixei minha alegria
empenhei minha saudade
me roubaram a mocidade
perdí tudo que eu queria
só lucrei o pão do dia
em troca de minha luta
minha voz ninguém escuta
rogo a deus a todo instante
que me proteja adiante
guiado por sua batuta

Autor: Ronaldo Cisneiros Veras.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s