Eu quero meu sertão de volta – Anselmo Alves

    Nos últimos dez anos tenho viajado freqüentemente pelo sertão de Pernambuco, e assistido, não sem revolta, a um processo cruel de desconstrução da cultura sertaneja com a conivência da maioria das prefeituras e rádios do interior. Em todos os espaços de convivência, praças, bares, e na quase maioria dos shows, o que se escuta é música de péssima qualidade que, não raro, desqualifica e coisifica a mulher e embrutece o homem.
O que adianta as campanhas bem intencionadas do governo federal contra o alcoolismo e a prostituição infantil, quando a população canta “beber, cair e levantar”, ou “dinheiro na mão e calcinha no chão” ? O que adianta o governo estadual criar novas delegacias da mulher se elas próprias também cantam e rebolam ao som de letras que incitam à violência sexual? O que dizer de homens que se divertem cantando “vou soltar uma bomba no cabaré e vai ser pedaço de puta pra todo lado” ? Será que são esses trogloditas que chegam em casa, depois de beber, cair e levantar, e surram suas mulheres e abusam de suas filhas e enteadas? Por onde andam as mulheres que fizeram o movimento feminista, tão atuante nos anos 70 e 80, que não reagem contra essa onda musical grosseira e violenta? Se fazem alguma coisa, tem sido de forma muito discreta, pois leio os três jornais de maior circulação no estado todos os dias, e nada encontro que questione tamanha barbárie. E boa parte dos meios de comunicação são coniventes, pois existe muito dinheiro e interesses envolvidos na disseminação dessas músicas de baixa qualidade.

E não pensem que essa avalanche de mediocridade atinge apenas os menos favorecidos da base de nossa pirâmide social, e com menor grau de instrução escolar. Cansei de ver (e ouvir) jovens que estacionam onde bem entendem, escancaram a mala de seus carros exibindo, como pavões emplumados, seus moderníssimos equipamentos de som e vídeo na execução exageradamente alta dos cds e dvds dessas bandas que se dizem de forró eletrônico. O que fazem os promotores de justiça, juízes, delegados que não coíbem, dentro de suas áreas de atuação, esses abusos?
Quando Luiz Gonzaga e seus grandes parceiros, Humberto Teixeira e Zé Dantas criaram o forró, não imaginavam que depois de suas mortes essas bandas que hoje se multiplicam pelo Brasil praticassem um estelionato poético ao usarem o nome forró para a música que fazem. O que esses conjuntos musicais praticam não é forro! O forró é inspirado na matriz poética do sertanejo; eles se inspiram numa matriz sexual chula! O forró é uma dança alegre e sensual; eles exibem uma coreografia explicitamente sexual! O forró é um gênero musical que agrega vários ritmos como o xote, o baião, o xaxado; eles criaram uma única pancada musical que, em absoluto, não corresponde aos ritmos do forró! E se apresentam como bandas de “forró eletrônico”! Na verdade, Elba Ramalho e o próprio Gonzaga já faziam o verdadeiro forró eletrônico, de qualidade, nos anos 80.
Em contrapartida, o movimento do forró pé-de-serra deixa a desejar na produção de um forró de qualidade. Na maioria das vezes as letras são pouco criativas; tornaram-se reféns de uma mesma temática! Os arranjos executados são parecidos! Pouco se pesquisa no valioso e grande arquivo gonzaguiano. A qualidade técnica e visual da maioria dos cds e dvds também deixa a desejar, e falta uma produção mais cuidadosa para as apresentações em geral.

Da dança da garrafa de Carla Perez até os dias de hoje formou-se uma geração que se acostumou com o lixo musical! Não, meus amigos: não é conservadorismo, nem saudosismo! Mas não é possível o novo sem os alicerces do velho! Que o digam Chico Science e o Cordel do Fogo Encantado que, inspirados nas nossas matrizes musicais, criaram um novo som para o mundo! Não é possível qualidade de vida plena com mediocridade cultural, intolerância, incitamento à violência sexual e ao alcoolismo!
Mas, felizmente, há exemplos que podem ser seguidos. A Prefeitura do Recife tem conseguindo realizar um São João e outras festas de nosso calendário cultural com uma boa curadoria musical e retorno excelente de público. A Fundarpe tem demonstrado a mesma boa vontade ao priorizar projetos de qualidade e relevância cultural.
Escrevendo essas linhas, recordo minha infância em Serra Talhada, ouvindo o maestro Moacir Santos e meu querido tio Edésio em seus encontros musicais, cada um com o seu sax, em verdadeiros diálogos poéticos! Hoje são estrelas no céu do Pajeú das Flores! Eu quero o meu sertão de volta!

Eu assino embaixo!

Anúncios

11 Comentários

Arquivado em Uncategorized

11 Respostas para “Eu quero meu sertão de volta – Anselmo Alves

  1. Thaiane

    MUITO BOM!!!Muito bem escrito, boas críticas e boas lembranças… tenho que concordar: QUERO MEU SERTÃO DE VOLTA!!!

    Eu tenho 23 anos, sou do interior da Bahia, mais precisamente de Juazeiro, mas moro em Salvador – “a capital da imundice”.Se a gente for parar para pensar no mundo que estamos vivendo, veremos que não há a mínima condição de se exigir qualquer manifestação de RESPEITO entre as pessoas, uma vez que, são elas que se ofendem o tempo inteiro, como bem exemplificou! Meu Deus, eu parei uns 10 segundos para pensar no mundo de hoje e sabe o que eu consegui ver??? SEXO, VIOLÊNCIA!!!!!!!!!!!A gente convive tanto com essa realidade (mesmo sem querer) que acaba nem pensando no que está em volta!

    Mesmo querendo fugir dos cantores do suposto ” forró eletrônico” tenho que utilizar um termo, por eles falado constantemente, desmantelo!! Esse mundo está um verdadeiro DESMANTELO!!

    Onde a gente vai parar????Todo mundo está acomodado… todo mundo acha tudo muito normal, mas não se fixam na formação da crianças que crescem escutando: ” RALA A TCHECA NO CHÃO”; “OLHA O BADALO DO NEGÃO”… entre outras mil!!É uma perdição… parece mesmo que é o fim!!!

    Tenho que agradecer DIARIAMENTE ao meu pai e ao meu sertão pela minha formação!!!Tenho os meus conceitos e estes se afastam MUITO dessa realidade vivenciada hoje!!

    E para fechar bem, vou citar o poeta Jessier Quirino:
    “Vou-me embora pro passado
    Pra não viver sufocado
    Pra não morrer poluído
    Pra não morar enjaulado
    Lá não se vê violência
    Nem droga nem tanto mau
    Não se vê tanto barulho
    Nem asfalto nem entulho
    No passado é outro astral
    Se eu tiver qualquer saudade
    Escreverei pro presente…”

    VOU-ME EMBORA PRO PASSADO… lá que a gente era feliz…

    Parabéns!!!

  2. Eliete

    Perfeito!!!
    Sou de Juazeiro. Ligar o rádio, mais precisamente na frequência das FM’s, aqui em nossa região, em quase toda a programação, é entrar no (sub)mundo da má qualidade musical.

    Há um escritor aqui da cidade conhecido como “Pinzó”, professor da UNEB, que lançou um livro sobre a forma como fomos limitados culturalmente. Não cheguei a lê-lo ainda, mas tive conhecimento do tema através do próprio autor. O povo não gosta do que é “bom” ou o povo não tem acesso ao que é “bom”???

    Raros são os eventos públicos, gratuitos, que exibem o fino da nossa cultura regional.

    Bahia virou sinônimo de “pagode quebradeira” e o restante do Nordeste é “forró eletrônico”…

  3. ANTONIA COSTA

    Parabéns ANSELMO, comungo com suas ideias, o que fazer? Desligar o rádio, não sair de casa? Não dá né, temos que ir em frente, que tal tentar mudar um pouco esta história, fazendo cada um sua parte, é o que tento fazer e, na minha casa não, essas drogas nem pensar. às vezes desanimo,é como se não desse mais para sonhar, lendo o comentário de Thaiane (que suponho ser uma pessoa que tenho referência da família), o sonho volto, espero que como ela muitos jovens despertem. Tambem moro em Juazeiro e, recentemente pude presenciar em Petrolina o quanto desvalorizam o que temos de melhor, na Semana Cultura, shows maravilhosos e, Orla Nova praticamente vazia, com certeza seria a visão do inferno – se fosse Limão do mel, calcinha de renda ou qualquer outras dessas “merdas” que como voce diz se apresentam com forró eletronico. Essa tal de modernidade… como voce quero meu sertão de volta com tudo que aprendi amar e respeitar.

  4. Dejy

    Primeiramente quero parabenizar esse grande homem: ANSELMO ALVES.. E também quero contar um pouco de minha história..Tenho 18 anos, sou de ALAGOAS vim estudar em PARAÍBA, poxa! é cidade grande; sinto tanta falta do meu interiorzinho de ALAGOAS, choro, sofro muito pelo fato de está longe de lá eu costumo dizer que minha felicidade tá lá, mais eu vim para cá por que quero ser alguém na vida. Eu peço tanto há Deus que não deixe que morra nossas tradições e crenças, principalmente de nosso sertão, há cada dia que passa a tecnológia tira nossos costumes, de usar coisas antigas, e tal..É raro hoje em dia a gente ver alguém no radio ligadinho em noticias como antigamente, um exemplo foi meu avô: chegava aquela tarde linda..o cheirinho de café do fogão há lenha, ele logo se acomodava em sua bela e antiga poutrona, ligava o radio e ouvia as noticias enquanto minha avó fazia o café (janta), nossa! como eu sinto falta disso tudo é barra pra mim suportar, eu quero muito voltar para meu interior, meu pai é sertanejo..eu já fui ao sertão, pôs adorei!!!! e meu interior tambem parece com o sertão, por isso sofro tanto assim com saudades de lá; eu sempre falo: ” eu não sou nada sem ti minha querida terrinha “. É muito difícil pra uma pessoa que nasceu no interior conseguir se adaptar numa cidade grande cheia de tráfego, eu quero meu interior novamente, quero acordar de manhã cedo como fazia, e acordar meu pai pra gente caminhar como a gente fazia antes.. íamos palas estradas conversando o que íamos fazer depois daquela bela corrida. Ao nosso redor belos canaviais cortando o caminho que passavamos, logo mais na frente tinha uma bela estrada de barro que na verdade era a entrada de meu interior, e a gente seguindo e continuando a conversa, nossa, era demais meu pai e eu, depois logo quando chegavamos em casa eu fazia café para todos, quem ia acordando já vinha em direção há mesa, daí começava as longas conversas, risadas, piadas, o que os meninos iriam aprontar no colégio, era tudo bom demais, mais eu tenho fé disso tudo voltar, sinto falta até mesmo do cantar do galo, e da comida da minha terra. Eu quis relatar nesse comentário que hoje em dia as pessoas não estão valorizando nossa cultura, tudo que pertence ao sertão está morrendo aos poucos, eu imploro que não deixem tudo isso morrer assim, nossa cultura está em nossas mãos. Me sinto triste por está longe de todos que amo, minha família, minha terra, tudo que amo está lá, mais vou sair daqui dessa cidade uma grande mulher de garra e coragem, eu digo: ” EU VOU VOLTAR PRA MINHA TERRA “.. OBRIGADA!

  5. Anjinha =)

    nunca mais vou ti ver =/ eu sem nehuma chance pra dizer o quanto sou apaixonada por vc
    a primeira vez que ti vi meu coração foi a mil .me apaixoneiiiiiii com o toque do seu coração e seus olhos brilhando pra mim eu não resistir e te amei muito .hj choro de tristeza =/ nunca mais vou ti ver

  6. Anjinha =)

    = ) MARAVILHA
    COISA LINDA

  7. Dejy

    Hoje tô passando por aqui, pra falar que estou indo pro meu interiorzinho novamente, aqui nessa cidade grande eu conheci de perto a hipocresia, discriminação, e a falsidade….agora que quebrei a cara aqui, vou voltar ciente que sou guerreira e vou recomeçar e ser alguém lá na minha terrinha, bjos gente, valew tô voltandooooooooooo

  8. hermes sette neto

    anselmo alves,devemos lhe agradecer pelo seu valoroso alerta com relação à cumplicidade dos prefeitos e demais esferas de governo,na promoção de eventos de desconstrução moral com o dinheiro público.hoje a folha de pernambuco trás notícia alvissareira com o secretário josé pereira[prefeitura de caruaru] proibindo as tais musicas ”estilisadas”[duplo sentido] nas quadrilhas de sao joão.parabéns caruaru!parabéns prefeito ze queiroz ,pelo seu digno auxiliar josé pereira.recife05/04/09

  9. Anjinha :)

    Nossa Que surpresa eunem esperava encontrar o site e coloquei pra fazer uma pesquisa e dei de cara com o nome da pessoa que mais amo nessa vida rsrs coisa linda , ah tem várias forma de tratar um Que mais amo é chamar de amorzinho . bom fiquei feliz ao encontrar esse site . quero dizer que tô muito Feliz en ter essa pessoa maravilhosa ao meu lado novamente e que sem ela meus dias não seram os mesmo e quero continuar feliz ao lado dessa pessoa Q é vc meu amorzinho . Aí Q saudades do pelinhoS aqueles que amava fazer carinho rs beijão hj sou um mulher removada amorzinho me faz assim todos os dias obrigado amor por ter voltado p/ seu lar e futuramente ficará ao meu lado TE AMO

    • Toinho de Triunfo

      Se quer forró de verdade
      Ateie fogo na guita
      A batera mais bonita
      Quebre com brutalidade
      Mas deixe por piedade
      O teclado rente à terra
      Tire o cantor que berra
      Bote fon – fon tinguilim
      tum tum tum que eu digo assim:
      ISSO É FORRÓ PÉ DE SERRA.

  10. tem mesmo que combater essa baixarias, é uma vergonha, tem jente que compra essas merdas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s