Um poema meu

Mote: Allan Sales

PODE SER UM DOM DEUS
QUE POR MIM FOI LAPIDADO
CHEGA FICO ADMIRADO
AO RELER OS VERSOS MEUS
FOI MOISÉS QUEM ESCREVEU
NA TÁBUA, COM GIZ DE CERA
QUE MEU VERSO É A SEMENTEIRA
E COM RIMAS VOU AGOANDO
MEU VERSO É PEDRA ROLANDO
DESCENDO UMA RIBANCEIRA

UM REPENTISTA AFAMADO
EU, UM DIA, AINDA VOU SER
VOU PRO RÁDIO OU PRA TV
DEIXAR MEU VERSO MARCADO
VOU MANDAR O MEU RECADO
A ESSA TERRA ALTANEIRA
NÃO HÁ NO MUNDO QUEM QUEIRA
VER A TRISTEZA IMPERANDO
MEU VERSO É PEDRA ROLANDO
DESCENDO UMA RIBANCEIRA

DEUS ME PERGUNTOU UM DIA:
SE QUERO POBREZA OU DINHEIRO
E EU RESPONDÍ BEM LIGEIRO
QUE O DINHEIRO EU NÃO QUERIA
EU QUERO É UMA VIDA SADIA
COMIDA E UMA VIDA BREJEIRA
OUVIR O CHIAR DA PORTEIRA
E UMA SANFONA TOCANDO
MEU VERSO É PEDRA ROLANDO
DESCENDO UMA RIBANCEIRA

AS ÁGUAS DE UMA NASCENTE
VÃO DESCENDO RIO ABAIXO
NAS MARGENS, NO MATO BAIXO
BRILHA O SOL INCANDESCENTE
CHEGA A NATUREZA SENTE
QUE A FARTURA VEM LIGEIRA
POIS A ÁGUA CORREDEIRA
BENZÓ DEUS! DESCE MOLHANDO
MEU VERSO É PEDRA ROLANDO
DESCENDO UMA RIBANCEIRA

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s